Av. Nilza de Oliveira Pipino, 1852 - CEP 85440-000 | (44) 3543-8000 | ubirata@ubirata.pr.gov.br
Acessibilidade

Alerta

Infesta??o do caramujo africano aumenta com excesso de chuva


Ouvir matéria

A chuva intensa e o forte calor além da dengue trazem outra preocupação para os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Ubiratã. O clima atual é perfeito para a proliferação do caramujo africano, que foi detectado em alguns pontos do município. Tão logo se detectou a presença desse molusco em Ubiratã a secretária Cristiane Pantaleão determinou que fosse coletado e feito a incineração do caramujo.

 

Oriundo da África e introduzido de forma ilegal no Brasil na década de 1980, o caramujo pode transmitir doenças graves, alerta a secretária. A regra básica é jamais tocar sem proteção e não consumir frutas ou verduras que tiveram contato com o molusco. Cristiane pede que qualquer pessoa que detectar a presença dessa praga deve imediatamente comunicar a equipe de vigilância através do fone: 3543-4141 ou se dirigir até o Posto de Saúde Central. “Nós orientaremos os munícipes sobre como realizar a coleta. Posteriormente iremos até o local para recolher e incinerar o molusco já coletado”, ressalta Pantaleão.

 

Após o manuseio, luvas e sacos devem ser descartados.

 

IDENTIFICAÇÃO

É fácil identificar o caramujo africano. Ele é cinza-escuro, sua concha possui estrias e faixas castanhas. A concha mede de 15 a 20 centímetros e o molusco pode pesar até 200 gramas. Por onde passa o caramujo deixa um muco (espécie de liga).

 

PROBLEMAS

O muco deixado pelo molusco pode transmitir um verme aos seres humanos por contato, provocando uma doença conhecida como angiostrongiliase. Trata-se de um parasita que afeta o sistema nervoso central, com efeitos graves. Ele provoca dor de cabeça intensa, rigidez de nuca, formigamentos diversos, paralisias temporárias e febre baixa. O verme também pode se alojar no olho, provocando distúrbios visuais e até cegueira permanente.

 

O verme pode ainda causar a mesma doença na forma abdominal, caracterizada pelo comprometimento dos órgãos abdominais, especialmente na região do intestino grosso. Além de provocar doenças, o caramujo ainda representa uma ameaça econômica. Isso porque ele devora plantações, tais como hortas e pomares, além de grãos armazenados.

 

LIMPE SEUS QUINTAIS

O caramujo não tem predadores, já que se trata de uma espécie exótica (de outro bioma - conjunto de fauna e flora). A exemplo de outras pragas, como o mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue), o caramujo africano gosta de locais com entulhos e sem limpeza, ambiente ideal para se proliferar.

 

Em virtude disso, Cristiane Pantaleão pede que todos os munícipes limpem seus quintais ou terrenos baldios, pois o caramujo utiliza locais protegidos por sujeira para permanecer durante o dia. “Contamos com a colaboração de todos os ubiratanenses em mais esta luta”, finaliza a secretária de Saúde.

Fonte: Robson Alexandre

Data de Publicação: 05/03/2011

Sem proteção é proibido tocar no molusco Crédito: Arquivo
Legenda: Sem prote??o ? proibido tocar no molusco

 Galeria de Fotos

 Veja Também