Secretarias Administração Assist. Social Desenv. Econômico Educação e Cultura Esporte e Lazer Finanças e Planejamento Gabinete Obras Saúde Serviços Urbanos Serviços Rurais

ÚLTIMAS NOTÍCIAS / CUIDADO

Ubiratanenses devem ficar atentos para evitar epidemia de dengue


Nessa época do ano é grande a preocupação com relação ao aumento do número de pessoas infectadas pela dengue – doença transmitida pela picada do mosquito Aedes Aegypti -, bem como uma preocupação muito grande com relação ao descaso de algumas pessoas, que não se preocupam com o bem estar comum e acabam não eliminando recipientes que possam acumular água parada – ideal para a proliferação das larvas do mosquito.

 

A equipe de Vigilância Epidemiológica de Ubiratã atua continuamente em toda a cidade, através de agentes da dengue, que vistoriam pontos comerciais e quintais de residências. “Quando identificado um local com água parada os agentes imediatamente comunicam o proprietário e fazem a ele um alerta sobre o risco que isso pode causar a saúde humana”, explica Selma de Souza, coordenadora de endemias.

 

Selma diz ainda sobre o risco de epidemia que pode afetar Ubiratã, caso todos os cidadãos não façam sua parte. “Tivemos um grande aumento no número de residências com larvas do mosquito em nosso município. Somente em dezembro foram notificados 56 imóveis com criadouro”, ressalta a coordenadora.

 

Já Nágile Akkache, enfermeira epidemiológica, lembra que na região de Campo Mourão, foram 13 óbitos por dengue este ano, sendo um desses óbitos em Ubiratã, além de outros 2 casos de dengue com complicação. “No ano tivemos confirmadas 238 pessoas com dengue no município; desses 232 autóctones e apenas 6 importados. Isso por si só já mostra o quanto é preocupante a dengue em Ubiratã”, frisa Nágile.

 

O munícipe que quiser tirar maiores informações ou até mesmo fazer uma denúncia pode procurar a vigilância epidemiológica no Posto de Saúde Central ou entrar em contato pelo fone 3543-4141.

 

SINTOMAS

Febre forte e repentina, dor no fundo dos olhos, dores musculares, dores nas articulações, dor de cabeça e manchas avermelhadas pelo corpo. Esses são os principais sintomas da dengue.

 

Caso esses sintomas acometam um cidadão é necessário que o mesmo procure uma unidade de saúde. “Todas as nossas unidades possuem profissionais que podem lhe dar o atendimento rápido e de qualidade”, diz a secretária de Saúde, Cristiane Martins Pantaleão.

 

PREVENÇÃO

Selma de Souza, fala das principais medidas a serem tomadas no sentido da prevenção dos criadouros. "A medida mais eficiente para controlar a dengue é eliminar o criadouro da larva. Deve-se sempre olhar no quintal e descartar qualquer objeto que possa acumular água”. A coordenadora diz que onde mais se encontra focos do mosquito é no prato que ampara os vasos de flores. Além disso, qualquer saco plástico, copo descartável ou garrafa deve ser tampada antes de ir para o lixo. Materiais como pneus, bacias e baldes não devem ser expostos.

 

“Se cada um fizer a sua parte, estaremos livres da epidemia e evitando assim a perda de pessoas próximas a nós, pois a dengue não escolhe sua vítima”, pontua Selma.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social

Data de Publicação: 26/12/2013

Dicas básicas para eliminar o risco de epidemia da dengue Credito: Divulgação

 Galeria de Fotos

 Outras Notícias

Horário de Atendimento: Segunda à Sexta-feira: das 8h00 às 12h00 e das 13h30min às 17h00
(44) 3543-8000